Planejamento familiar

Dispositivo intrauterino (DIU), um método contraceptivo eficaz e seguro

O dispositivo intrauterino (DIU), é um método contraceptivo mecânico, que pode ou não ser associado à hormônios, mais comumente os progestagênios.

Trata-se de uma peça de polímero (atualmente) com cerca de 85mm2 que possui baixo potencial alergênico, envolvido em fio de cobre e em alguns casos embebido em hormônio. O DIU é colocado na cavidade uterina e por ser um corpo estranho, provoca uma endometrite asséptica, acarretando em um efeito espermicida de alta eficácia.

Quando o DIU é associado à progestagênios, ele passa a apresentar o mesmo efeito dos anticoncepcionais hormonais, sem causar anovulação. A ação do dispositivo intrauterino ainda pode ser potencializada, quando se usa uma haste de cobre envolvida em seu corpo. Este metal, agride levemente a parede uterina e acentua o quadro de endometrite asséptica que nada mais é que uma irritação da parede uterina que evita que um ovócito fecundado consiga se implantar.

O DIU mais o cobre é o mais utilizado no Brasil e sua validade é de 12 anos. Os dispositivos intrauterinos que utilizam progestagênios possuem validade que variam de 1 à 5 anos e alguns não existem no mercado brasileiro.

 

Quem pode usar o dispositivo intrauterino?

Toda mulher em idade fértil, com mais de 25 anos de idade, em bom estado de saúde, com função uterina normal, sem histórico de infecções genitais previas, anexias recentes e neoplasias podem utilizar o dispositivo intrauterino.

 

Quem está habilitado a fazer a colocação do dispositivo intrauterino?

Apenas os médicos são autorizados a colocar o DIU, em especial os ginecologistas. O dispositivo carece de treinamento para ser colocado, e uma série de exames físicos devem ser feitos antes do implante do DIU.

 

Como é o procedimento de colocação do DIU?

O dispositivo intrauterino é fornecido em um kit esterilizado, que pode ser adquirido no próprio consultório médico ou colocado gratuitamente em unidades básicas de atendimento sob recomendação médica. O procedimento de inserção do DIU é relativamente rápido, porém, carece de manobras que só um médico especialista está apto a fazer.

 

Quando uma mulher decide colocar o dispositivo intrauterino, ela deve se submeter a uma consulta ginecológica para fazer o procedimento?

Sim! O DIU é colocado no próprio consultório médico. Procede-se da seguinte forma: em primeiro lugar, o médico irá palmar o útero da mulher e visualizar o seu colo uterino a fim de ver a posição que o útero se encontra e se ele não possui nenhuma variação anatômica, como os úteros bicornos que são divididos ao meio por um septo da musculatura miometrial. A visualização do colo uterino é importante para ver se a mulher não possui nenhuma inflamação ou infecção que poderia contaminar a cavidade uterina no momento da inserção do DIU. Tendo constatado que o útero e o colo uterino estão em perfeito estado, o médico fará assepsia do colo uterino, canal vaginal e se necessário da vulva, ou seja, ele utilizará antissépticos para higienizar o “caminho” de passagem do dispositivo.

Tendo feito isso, o médico irá calçar um par de luvas estéreis, após escovar as mãos como se fosse realizar um procedimento cirúrgico, isto porque o DIU é um equipamento esterilizado e não pode ser contaminado. O próximo passo é expor novamente o colo uterino com o auxílio de um especulo introduzido no canal vaginal, mesmo procedimento feito no exame ginecológico preventivo, e discreta exposição do acesso uterino com auxílio de uma pinça cirúrgica, o que pode provocar um leve desconforto na paciente. O DIU então é inserido através de um aplicador que vai até a cavidade uterina onde o DIU é aplicado.

O DIU possui um cabo guia, que é cortado poucos milímetros fora da cérvix. Este cabo guia será utilizado quando o DIU for removido e serve também para que a mulher possa fazer uma auto inspeção mensal do dispositivo, introduzindo o dedo na vagina e tocando o cabo.

 

Qual é a eficácia do método?

Tratados de medicina relatam que a eficácia do DIU varia entre 97% – 99%, sendo que sua falha está muito relacionada com abortamentos, 50% das vezes e gravidez ectópica, 25% dos casos, principalmente de implantação tubária.

 

O que muda após a colocação do DIU?

Por se tratar de um corpo estranho, o DIU poderá provocar sangramento nos próximos dias após a sua implantação e a longo prazo a mulher perceberá fluxo menstrual aumentado, sem riscos isolados para anemia e algumas pacientes relatam aumento da intensidade das cólicas menstruais que podem ser amenizadas com o uso de anti-inflamatórios não esteroides, principalmente da classe dos AINES.

 

Existe uma época certa para fazer a aplicação do dispositivo intrauterino?

O DIU deve ser colocado 12 dias após a menstruação e é seguro que a paciente só conte com o método após a próxima menstruação.

 

Ressaltamos que apenas MÉDICOS podem fazer a aplicação do DIU, que pode ser colocado GRATUITAMENTE em unidades básicas de atendimento por ginecologistas, sob recomendação! Sempre que você for fazer uso de um método contraceptivo, converse com seu médico e de preferencia leve seu parceiro com você, assim o planejamento fica sob a responsabilidade dos dois, bem como a melhor decisão. O médico ginecologista, antes de mais nada é um educador e priva pelo seu bem-estar.

Fonte: youtube
Click para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir