Busca da felicidade: atitudes, comportamentos e desafios

por | agosto 6, 2018

Felicidade = satisfau00e7u00e3o externa + satisfau00e7u00e3o interna

Depois de alguns anos de experiência no meu consultório, pude notar quão comum é a mulher buscar a felicidade focando suas energias no TER e negligenciando seus sentimentos (SER).

Me chamo Leonardo Aguiar, trabalho com Psicologia Clínica e com Atenção Primária à Saúde e estarei aqui com vocês abordando temas sobre saúde mental.

Quão confuso é quando você percebe que tem ótimas razões para se sentir feliz mas você não se sente assim? O que prioriza na sua vida em busca de felicidade? Um bom casamento? Uma boa condição financeira? Bons amigos? Todas essas coisas juntas? E mesmo tendo isso tudo você ainda se questiona:

 

Porque não me sinto satisfeita?

Mas o que é satisfação? Em uma rápida olhada no dicionário, temos:

“… s.f. Ação ou efeito de satisfazer; prazer resultante da realização daquilo que se espera ou do se deseja.’’.

Ou seja, você se sente satisfeita quando faz algo visando atingir algum desejo, que no caso aqui é a felicidade.

 

Mas como você sabe o que deve ou não fazer para tentar ser feliz?

Muitos dos seus desejos são influenciados por aquilo que a sociedade diz para você. Quem nunca ouviu dos pais que o para ser feliz você precisa estudar, arrumar um bom emprego, casar e ter filhos. Ou já ouviu de uma propaganda na TV quão feliz você vai ficar se adquirir um produto ou serviço. Geralmente o meio que nos rodeia dita o que é certo ou errado, bom ou ruim. Ou seja, a sociedade nos manda sempre um recado: Faça o que lhe dizemos e seja feliz!

…Pense, fale, compre, beba / Leia, vote, não se esqueça / Use, seja, ouça diga…” Admirável Chip Novo, Pitty

Ok, até aqui você já sabia, somos seres sociais e essa sociedade nos influencia tanto quanto nós a ela. Sendo assim você já chegou na seguinte conclusão:

Mas nem tudo que é bom para o outro é necessariamente bom para mim.

Entra aqui a outra metade do caminho rumo a felicidade: Sua experiência emocional! É ela que dá sentido a tudo que acontece na sua vida e te faz se sentir bem ou mal consigo mesmo e com o mundo a sua volta.

É isso mesmo, seus sentimentos não só interferem o seu bem estar interno como também a sua percepção de bem estar externo.

Sabe quando você perde alguém querido e os dias ficam cinzas, a comida fica sem gosto, nada que você faz te satisfaz? É assim que você vê o mundo quando está em sofrimento emocional.

“… A mesma praça, o mesmo banco, as mesmas flores, o mesmo jardim. Tudo é igual, mas eu estou triste, porque não tenho você perto de mim…” A praça, Carlos Imperial

Ou seja, a sociedade até te fala o que deve fazer para ser feliz, mas é sua experiência emocional que vai determinar se você vai achar isso satisfatório ou não. Sendo assim chegamos na seguinte fórmula da felicidade:

 

Felicidade = satisfação externa + satisfação interna

Satisfação externa – Você se sente satisfeita sempre que a vida te dá que deseja dela. Por outro lado, quando ela te dá uma rasteira e te obriga a sair da sua zona de conforto (tudo aquilo que você está acostumada a fazer, pensar ou sentir) a sua satisfação externa diminui e afeta a sua sensação de felicidade. Nessa hora quem ajuda a segurar as pontas é o seu emocional. Se você está bem emocionalmente é muito mais fácil lidar com os altos e baixos da vida.

“… Quando você me deixou, meu bem 
Me disse pra ser feliz e passar bem
Quis morrer de ciúme, quase enlouqueci
Mas depois, como era de costume,
obedeci”
  Olhos nos olhos, Chico Buarque

Satisfação interna – Saber lidar com seus sentimentos (negativos ou positivos) te gera sensação de bem estar. Meus pacientes sempre me perguntam se a felicidade está ligada a não ter problemas emocionais e eu sempre respondo que está ligado a enfrentar suas emoções. Quando você sente algo que não gosta (por exemplo um sentimento de rejeição) você quer evitar ao máximo esse sentimento e o deixa mais bem guardado possível. Isso é como jogar a sujeira da sala para debaixo do tapete, você não a enxerga mais mas sabe que ela está ali de baixo. Anos e anos evitando e guardando seus sentimentos tem como consequência você nem se lembrar deles, mas o desconforto continua presente. Bem vinda ao seu vazio interior!!!

Voltemos ao início do texto, você acorda de manhã, segue sua rotina diária, as pessoas a sua volta estão bem, você tem tudo quase tudo que sua condição social te permite ter e tudo parece estar normal. Mas você não está bem, está sentindo uma angustia que não sabe da onde vem, um vazio interior. Isso não é um vazio, é a sombra de todos esses sentimentos que estão a tempos sendo evitados e reprimidos.

Agora você está se perguntado, então esse meu vazio interior acontece porque não estou satisfeita com a maneira de lidar com meus sentimentos? SIM

“…Eu devia estar contente
Porque eu tenho um emprego
Sou um dito cidadão respeitável
E ganho quatro mil cruzeiros
Por mês
Ouro de Tolo, Raul Seixas

Acontece que você não sabia disso, e continuou na sua busca pela felicidade. Você já sabe que quando a vida te dá uma rasteira seu emocional te ajudar a lidar com isso, certo? Nesse caso ocorre o contrário, quando você não está satisfeita emocionalmente você busca satisfação externa para equilibrar a balança novamente. E o que na sociedade de hoje gera mais prazer? Acertou se você pensou compras e/ou comida. O mundo hoje vive a epidemia da compulsão alimentar e a de compras. Com isso você entrou no ciclo vicioso da infelicidade!!!!

… Bebida é água, comida é Pasto, Você tem fome de que? Você tem sede de que?…” Comida, Titãs

Ciclo vicioso da Infelicidade – Lembra quando eu disse que o seu emocional muda a forma de você ver o mundo? Isso se aplica ao valor que você dá as coisas. Quando você não está bem, tende a dar muito mais valor ao que você não tem, e muito menos valor ao que você tem.

Sendo assim quanto mais triste você está, mais você precisa de satisfação externa. Quanto mais satisfação externa você busca menos efeito faz ela faz. Isso aumenta a insatisfação, que te faz buscar mais, que dá cada vez menos satisfação, que faz você buscar mais …. e assim funciona esse Ciclo Vicioso.

E agora? O que fazer se você já identificou que está nesse circulo vicioso? Você anda comendo demais? Comprando de mais? Trabalhando de mais? Bebendo ou fumando de mais?

Invista na sua saúde mental. Saber enfrentar e lidar com seus sentimentos vai te gerar uma satisfação interior que é mais intensa e mais duradoura do que a satisfação externa.

É possível sim ser feliz, e isso depende mais da satisfação interna do que da externa. Procure ajuda antes que esse ciclo vicioso da infelicidade se torne normal, evitando que o coitadismo entre na sua vida. O que é isso?
Deixaremos para um próximo papo.
Um abraço.

Leonardo Aguiar Vasconcelos
Psicólogo clínico
e-mail: [email protected]
telefone: (32)8806-1019

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *