Doenças

Quando o corrimento vaginal indica um problema?

Toda mulher passa por várias fases da vida, desde quando a menina tem a primeira menstruação até a menopausa muitas mudanças ocorrem no organismo e, consequentemente, o corpo dá sinais diferentes.

Antes de tudo é preciso entender que cada pessoa apresenta um determinado comportamento e que um organismo é diferente do outro. Diante disto, faz-se necessário identificar as diferenças entre secreção vaginal e corrimento vaginal para depois identificarmos quando o corrimento indica um problema.

Qual a diferença entre secreção e corrimento

 A secreção vaginal é comum em todas as mulheres, principalmente as que estão em idade reprodutiva, ou seja, as que já passaram pela menarca e que ainda não chegaram na menopausa.

Secreções podem aparecer em vários casos: perto dos dias da ovulação, através do uso de anticoncepcionais, excitação sexual, durante a gestação, entre outras ocasiões.

Já o corrimento vaginal acontece quando há algum problema excepcional com o organismo feminino, ou seja, a secreção vaginal por si só apresenta odores e texturas diferentes para cada mulher, mas quando ela se modifica, começa apresentar cheiro forte, consistência, cor forte pode ser sinal de corrimento vaginal.

Se a secreção apresentar cor amarelada, esverdeada ou até mesmo transparente e com cheiro muito forte é preciso ficar atenta e procurar orientação médica, pois pode se tratar de um corrimento.

Se você notar que há ardência, coceira ou até mesmo dores durante as relações sexuais é preciso ficar ainda mais atenta, pois essa soma de fatores pode ser sinal de que houve uma contração de DST ou que há algum tipo de infecção.

Tratamento para corrimento vaginal

Uma das melhores formas de não passar por esse mal é se prevenindo, por isso, algumas dicas básicas e mudanças de hábitos podem evitar que apareça o corrimento vaginal. Prefira calcinhas de algodão a calcinhas de lycra, pois elas permitem a passagem do ar e impedem que bactérias e fundos se alojem como nas calcinhas sintéticas.

Dormir sem calcinha é também uma forma de se cuidar, por mais que algumas pessoas não consigam se acostumar com isso é importante que essa prática seja feita todos os dias. Desta forma seu organismo consegue “respirar” evitando a proliferação de fungos, o que ajuda na diminuição ou não aparecimento de infecções na região íntima.

Mas, se você já foi diagnosticada com corrimento vaginal é preciso seguir as orientações médicas, normalmente o médico indica alguma pomada, medicação via oral ou então, em alguns casos, a combinação desses dois tipos de remédios.

Outro fato que precisa ser lembrado é que, se a infecção estiver grave, a paciente deve se abster de relações sexuais até o fim do tratamento. Mas, cada caso merece atenção específica, por isso, realizar os exames pedidos pelo médico é a melhor forma de se cuidar.

Outra forma de tratar o corrimento é com banhos íntimos mais de uma vez ao dia e com sabonete específico para a região, mas antes de começar a fazer uso de qualquer produto pergunto ao seu ginecologista se há alguma contraindicação.

Click para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir