Doenças

Psoríase – sintomas, tratamento e causas

 

A psoríase é uma doença inflamatória crônica que afeta pele, articulações e unhas. A doença afeta cerca de 125 milhões de pessoas no mundo, e de acordo com o Ministério da Saúde atinge quase 5 milhões de brasileiros.

Sua causa exata ainda é desconhecida, mas sabe-se que se trata de uma doença auto-imune, na qual células de defesa do próprio sistema imunológico, conhecidas como linfócitos T, ao invés de defenderem o organismo iniciam um processo de ataque às células, neste caso, principalmente ás células da pele. Fatores emocionais e psicológicos como estresse, além exposição ao frio e à baixa umidade do ar, traumas cutâneos, irritações na pele, baixa imunidade, infecções de vias aéreas como infecção de garganta e o uso de bebidas alcoólicas estão muito relacionados à época de aparecimento das lesões e a piora do quadro.

 

As manifestações clínicas variam de acordo com o tipo da doença, veja:

 

– Psoríase Vulgar ou em Placas (tipo mais comum): caracterizada pela presença de inúmeras placas de coloração avermelhada ou rósea, recobertas por escamas perláceas (coloração perolada) de tamanhos variados e bem delimitadas.

– Psoríase Invertida: caracterizada por lesões avermelhadas presentes em regiões de dobras, como virilha, axila, couro cabeludo, joelho e cotovelos.

– Psoríase Gutata (segundo tipo mais comum): caracterizada pela presença de pequenas lesões em forma de gotas nas regiões dos braços e coxas, geralmente acometendo crianças e adultos jovens.

– Psoríase Eritrodérmica: inflamação que acomete área extensa do corpo (mais de 75%). Pode ser acompanhada de sinais inflamatórios como dor, calor, muita vermelhidão e dores intensas. Esta forma da doença, em alguns casos, pode evoluir para óbito do paciente.

– Psoríase Ungueal: forma da doença que acomete unhas das mãos e/ou dos pés, deixando-as deformadas, espessadas, amareladas e por vezes, descoladas do leito ungueal (onicólise).

– Psoríase Pustulosa: presença de lesões com conteúdo líquido (pus) em seu interior. Pode ser localizada ou disseminada em todo corpo.

– Psoríase Palmo – plantar: caracterizadas por fissuras na palma das mãos e planta dos pés.

– Psoríase Artropática ou Artrite Psoriática: ocorre quando há comprometimento de articulação, manifestando com lesões de pele, dor e edema articular. Pode acometer qualquer articulação, mas geralmente ocorre em ponta dos dedos das mãos e dos pés, além de grandes articulações como joelhos.

 

 

 

O diagnóstico da psoríase é essencialmente clínico, baseado nas queixas do paciente e na observação do aspecto das lesões de pele. Em alguns casos a artrite psoriática pode ser confundida com outras doenças como o reumatismo gotoso (gota) ou mesmo coma a artrite reumatoide. Para o diagnóstico e tratamento corretos é muito importante acompanhamento de um médico reumatologista; e quando há lesões de pele, características da doença, também se faz necessário acompanhamento com um bom médico dermatologista.

 

Como a psoríase é uma doença crônica, não tem cura, mas tem tratamento. O tratamento vai depender do tipo da doença e das manifestações clínicas. Para os casos mais leves podem ser usadas medicações tópicas, exposição à luz solar, hidratação da pele e até fototerapia. Já em casos mais graves ou refratários opta-se pela medicação oral.

 

Também é importante o controle de fatores desencadeadores das lesões, como estresse, traumatismos na pele, entre outros.

 

 

Recomendações para pessoas que têm psoríase:

 

– Ao surgimento dos primeiros sintomas, é imprescindível procurar um reumatologista e/ou um dermatologista, pois o diagnóstico correto e precoce pode levar a uma boa evolução da doença.

– Como coadjuvante ao tratamento, é importante eliminar os fatores desencadeantes, como o uso de bebidas alcoólicas e o tabagismo.

– Evite o uso de medicamentos caseiros a base de ervas e chás, lembre-se: o melhor tratamento é aquele recomendado pelo seu médico.

– Exposição ao sol traz grandes benefícios para os portadores da doença, mas o recomendado é exposição ao sol antes das 11:00 e após as 17:00 horas.

 

Lembre-se: A psoríase não é contagiosa!

Click para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir