Doenças

Disfunção da prolactina pode causar infertilidade nas mulheres

Os cuidados com a saúde sempre devem fazer parte da lista de prioridades de toda mulher, muitas vezes as consultas ao ginecologista tornam-se raridade e os problemas aparecem. É muito importante que a mulher faça sempre os exames preventivos e esteja sempre em dia com os exames laboratoriais, evitando que muitas doenças apareçam.

A prolactina é um hormônio presente no organismo de toda mulher, mas quando o seu nível está acima do normal ele pode trazer sérios problemas. Para entender melhor o que é, como ele age, sintomas e tratamento, separamos algumas informações importantes, veja mais:

O que é a prolactina 

A prolactina é um hormônio responsável pela “fabricação” do leite humano, quando sua dosagem no sangue é alta ele pode trazer inúmeras consequências à mulher, como a amenorreia ou interrupção da menstruação.

Esse fator pode trazer consequências mais graves, como a infertilidade, quando isso ocorre se dá o nome de hiperprolactinemia, isso ocorre com cerca de 20% das mulheres que pararam de menstruar, com exceção, é claro, das gestantes.

Sintomas

Algumas mulheres apresentam sintomas variados, antes de tudo é importante salientar que toda mulher possui este hormônio produzido pela glândula hipófise, ele é importante para o bom desenvolvimento mamário e, posteriormente, para o aleitamento. Quando a mulher não está grávida ele é importante para controlar os demais hormônios femininos, quando ela está em período gestacional, produzirá o leite para a amamentação.

Quanto aos sintomas, o mais comum – e visível – é a saída involuntária de leite das mamas, quando isso acontece o ginecologista solicitará exames laboratorial para saber a prolactina no sangue, mas é válido lembrar que nem sempre acontece irregularidade no ciclo menstrual, por isso, é difícil identificar a hiperprolactinemia.

Já para as mulheres que estão na pré-menopausa podem apresentar outros sintomas, como: períodos irregulares da menstruação, ausentes, ondas intensas de calor, ressecamento vaginal e, após algum tempo, osteoporose.

Como acontece o tratamento

 Cada mulher apresenta um quadro clínico, tudo depende da idade da paciente, da origem do problema, do que aconteceu para que a prolactina causasse amenorreia, entre outras situações que podem surgir.

O tratamento acontecerá de acordo com a causa, desta forma, se faz importante um diagnostico correto, mas, de forma geral, é realizado com medicamentos que farão com que a produção de óvulos volte ao normal, bem como a menstruação. Desta forma a mulher se tornará fértil novamente e o leite secará, mas como já dito, cada caso passará por exames para que se encontre a melhor forma de tratar o problema.

Caso você note algum sintoma, como a saída de leite das mamas, sem estar no período de amamentação, procure seu médico. Para as mulheres que estão entrando na menopausa é importante realizar todos os exames e ter acompanhamento ginecológico, evitando não só a disfunção da prolactina, bem como todos os outros pormenores que podem surgir.

Cuide-se sempre e mantenha-se sempre bem informada, a prevenção ainda continua sendo o melhor remédio para evitar doenças, mal estar e ter mais qualidade de vida.

1 Comentário

1 Comentário

  1. Luna

    Janeiro 25, 2017 at 5:25 pm

    Como você pode estar no nível alto da prolactina

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir