Compartilhar é se importar!

Dieta Caralluma – natual ou nu00e3o?

Depois do sucesso da Dieta Dukan, preparamos uma matéria bem light sobre a nova dieta da moda: a dieta da Caralluma, sobre a qual falamos neste artigo! Leia e saiba tudo sobre esta planta, cuja importação e comércio foram proibidos, em 2010, pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária – ANVISA, órgão brasileiro responsável por controlar alimentos, fármacos, suplementos alimentares e outros. Será que funciona mesmo o é só mais um modismo? Descubra!

Da família Asclepiadaceae, a Caralluma Fimbriataé um cacto muito suculento que cresce em inúmeros lugares do mundo, inclusive na Índia, onde era muito consumido na época em que as tribos necessitavam caçar e seus membros ficavam dias sem se alimentarem. Com ação inibidora do apetite e da sede, essa planta muito tem sido estudada como um dos coadjuvantes no processo pela busca do emagrecimento rápido, fácil e não tão saudável. Mas como ela funciona?

Acredita-se que a Caralluma possua algumas substâncias denominadas glicosídeos, que são responsáveis por “enganar” o cérebro, enviando a ele mensagens, estímulos, que dão a impressão de que o estômago está cheio, mesmo quando nenhum alimento foi ingerido. Dessa forma, o cérebro entende que a pessoa já se alimentou e ela não fica com fome. Outro mecanismo de ação dá-se dentro da célula, especificamente na mitocôndria, organela responsável converter o alimento ingerido em energia (na forma de ATP), num processo complexo denominado Ciclo de Krebs. Acredita-se que os glicosídeos presentes na Caralluma também tenham a propriedade de inibir enzimas do Ciclo de Krebs, desta forma, haverá uma menor conversão de carboidrato em gordura e esta não se depositará nos tecidos, logo, a pessoa vai ingerir o alimento e não vai engordar, (considerando que engordar seja igual a aumento de tecido adiposo). Além do mais, como não há fornecimento de gordura ao organismo ele se vê obrigado a usar as reservas disponíveis, acelerando assim a queima de gordura.

Há algum efeito colateral?

Bem, de acordo com as pesquisas realizadas pela redação, não foram achadas fontes científicas sobre os efeitos adversos, alguns apenas citam: distenção abdominal, flatulência (gases), dores estomacais e constipação intestinal.

Onde comprar a Caralluma?

Pode ser encontrada em drogarias e em diversos sites disponíveis na rede. Lembrando que a única forma autorizada do produto é a manipulada, e só pode ser vendida por farmácias registradas na vigilância sanitária e com prescrição de um profissional habilitado.

Quanto custa fazer a dieta da Caralluma?

O valor do fitoterápico varia de acordo com loja/farmácia de escolha. Seu preço gira em torno de R$80,00 – frasco com 60 cápsulas de 500mg.

Como usar?

Deve-se ingerir duas cápsulas (de 500mg) ao dia, sendo uma 40 minuto antes do almoço e a outra 40 minutos antes do jantar. Ambas devem ser consumidas com água.

Observação: A ANVISA, em 20 de dezembro de 2010, proibiu a importação e a comercialização do produto. (veja em: http://s.anvisa.gov.br/wps/s/r/g20 ).Porém, não foram encontradas informações sobre a liberação ou não de sua comercialização.

É importante ressaltar que a Caralluma Fimbriata é um fitoterápico, e seu uso deve ser associado à prática regular de atividade física e a uma dieta balanceada.

Compartilhar é se importar!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *